domingo, 24 de fevereiro de 2008

para os que têm pressa

a poesia
na ação do dia:

verso vivo
correndo solto
nas entrelinhas
do alvoroço.

4 comentários:

Carolina de Castro disse...

Que lindo esse poema!!
Adorei as métricas e rimas.
Adoro escrita limpa e profunda!!

Polly disse...

Devo concordar com a Carol! Muito limpo, direto. É isso mesmo, tá todo mundo correndo louco! E o poeta, precisa serenar pra escrever!..

Beijo

miolodepote disse...

Tão digno de admiração quanto o poema é o olhar largo que enxerga poesia na estreiteza do alvoroço.

Parabéns pelo blog, moça!

Pintando estrelas no muro disse...

Ficou maravilhoso Marcianita!