quarta-feira, 18 de junho de 2008

diluindo a sede

saudade do salgado suor
que salta de teus poros
e vira água sagrada
para meu corpo deserto.

7 comentários:

Polly disse...

Nossa, voltou com força total. Suave, direta, como o vento que te traz!

um amor sagrado, um corpo que transpira o gosto do querer...

Lindoooooooooooooo!

Clarissa Marinho disse...

e haja sede! hehe
simples e bonito!
=*

Pintando estrelas no muro disse...

Moça bvonita, ficou lindo e sensual. Mais água salgada para nossos corpos desertos!
Um abraço! Saudades!

Limbonauta disse...

"sabe lá... o que é morrer de sede em frente ao mar?"

Lembrei-me de Djavan.

Marcinha... vem em tudo , não só no vento nem tampouco na cor.

Adorei tudo por aqui.

Laíza disse...

ela bloga e faz poesia! que jóia! :d

tb tá add, mulher!

:*

George Ardilles disse...

Maravilhoso.
=)

Sentido em profusão por mim... disse...

Estou com sede...

Beijos
Chris