quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

aqui dentro

subo os degraus e chego em casa mais cedo que de costume
passo da sala para a varanda sem intervalos sem empecilhos
grades por todos os lados

a vista da varanda é recortada por colunas de ferro:
linhas recortam e fragmentam as retinas de minha rotina


fechar os olhos é fuga e me leva além
livre do lado de dentro, amém.

3 comentários:

Pintando estrelas no muro disse...

Em mim esta sensação pulsa e pulsa e poulsa. Eu moro numa caixinha de fósforo.

George Ardilles disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
George Ardilles disse...

Ô coisa ruim é a prisão desta vida moderna.