terça-feira, 12 de julho de 2011

o senhor das guerras


na minha aldeia
teu nome se faz fogo

quando
me invade

me deixa
a vista embaçada
a voz embargada
a vida dilacerada

(há)dentro o desespero

fujo, corro
por ruas
becos
estreitos trajetos

mas não há mais jeito:
minha paz bombardeada.

2 comentários:

Camila disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Camila disse...

coisas de desassossego - boniteza, viu