terça-feira, 15 de julho de 2008

silenciada

a língua seca

obcecada

em não dizer nada.

9 comentários:

Sonhos Crônicos disse...

A consciência concisa da poesia...
Parabéns Marcinha!!
Bjaos!!

Confraria do Grito disse...

Uma hora as coisas mudam e a língua muda fala, fala, fala...

Laíza disse...

ton lecal teu blog! X)

a gente se vê em garanhuns! \o/

=*

Polly disse...

pregando a língua no céu... da boca
pra não dizer qualquer coisa que não seja etérea...
=)

Maranganha disse...

"O verme é a manifestação máxima da liberdade à democratização da miséria" (Félix Maranganha)

Clarissa Marinho disse...

Adorei!Me deu até vontade de escrever um tb!Pode?Ah,agora já vai:
A língua seca
Pra não se molhar
Do que transborda dentro
(Eu metida a escrever poesia!hehe)
=D

A. disse...

sentido(s).

\o/

Sonhos Crônicos disse...

Oi Marcinha, tem poema novo no blog viu? Dá uma oiada, rssrs
Beijos!!

VaneideDelmiro disse...

Já tinha vindo aqui, silenciosamente. Mas hoje, voltando, não deu pra calar.
Bela construção poética.